40 coisas para ver e fazer no Central Park e arredores

Os encantos do Central Park

Cheguei a conclusão de que meu lugar favorito em toda Manhattan é o Central Park, durante um mês que “morei” em Nova York andei por lá quase todos os dias… Algumas vezes só pra fazer a caminhada ou a corrida do dia, outras pra explorar novas áreas. Há sempre uma surpresa por esse extraordinário espaço! Postei algumas dicas de passeio pelo Central Park no artigo “We love NYC“. Mas agora gostaria de escrever um pouco mais e colocar novas dicas a serem exploradas.

Vista para o Central Park do Top of the Rock

Ah, e se você está se perguntando se há 40 coisas pra se fazer no Central Park eu respondo, sim. E se procurar, há muito mais! Venha ver.

Neste artigo, o intuito não é dizer aos colegas viajantes que é preciso “gabaritar” todos os itens da lista que apresento a vocês. Longe disso, até porque algumas das sugestões são sazonais (ou só no inverno ou nos meses sem neve), ou ainda porque algumas atividades se repetem, como por exemplo, há diversos lugares legais para se fazer um piquenique. E algumas vezes, a sugestão de passeio não se enquadra com o perfil do viajante. Trago a vocês algumas referências de coisas bacanas que pode se fazer no Central Park, eu fiz (quase) tudo porque gosto e tive tempo. Mas aprecie as imagens, veja se o local e o programa interessa para você e suas companhias de viagem e então, monte sua própria lista.

Untermyer Fountain em Conservatory Garden

Sugiro usar um mapa e marcar a proximidade daqueles itens que você quer fazer pois o parque é bem extenso e as atrações por vezes ficam distantes. Aqui tentei listar por proximidade mas, não deu tão certo (norte – sul – leste – oeste, por onde seguir?!? ).

Chega de conversa e valendo: 40 coisas para ver e fazer no Central Park e arredores

1 – Passeio de bike no Central Park

Bikes alugadas

Bikes alugadas

Para aqueles que tiverem a oportunidade de estar em Nova York em meses sem neve sugiro um passeio de bicicleta dando a volta em toda a extensão do parque. Há vários pontos de aluguel de bicicleta aos arredores do parque e e mesmo dentro. Nas entradas da 59th street e na entrada da Columbus Circle há sempre pessoas oferecendo passeios e bikes pra aluguel.  Eu procurei uma loja de aluguel que já tinha uma referência na 56th street (Central Park Sightseeing 56 west 56th street, entre 5th e 6th Ave.). Mas você ainda pode procurar os pontos dentro do parque a maioria deles funciona o ano inteiro mesmo no inverno mas, eu penso que deve ser um pouco desagradável o vento gelado e os flocos de neve no rosto na velocidade da bike. Bom, mas vai do gosto de cada um.

O passeio de bicicleta pode proporcionar uma volta completa no parque mas somente na pista principal – a Park Bike Path. E é caminhando que se pode descobrir os cantinhos mais encantadores do parque, fazendo paradas nos lugares mais famosos e nos mais desconhecidos do parque. Vou tentar descrever um pouco desses pontos e áreas do Central Park, para se localizar melhor e encontrar os pontos basta um mapa, gratuito, que se consegue nos passeios e até mesmo usando o mapa gratuito do metrô.

2 – Observar a “selva de pedras” cercada pela vegetação do parque na Gapstow Bridge

A bela ponte encontrada próxima a 62nd Street oferece uma das melhores vistas do horizonte de Nova Iorque. A Gapstow Bridge atravessa a lagoa e permite uma visão aos prédios da região da Quinta avenida e do outro lado o verde do parque (dependendo da época do ano pois o Central Park tem paisagens muito diferentes de acordo com a estação).

3 – Visitar os animais no Central Park Zoo

Um pequeno zoológico dentro do Central Park, é um passeio gostoso mas não pode se esperar muito pois como disse, é pequeno e com poucas atrações comparadas a outros Zoos (como o do Bronx). Mas o interessante é ver logo na entrada o mesmo portal da abertura da série animada “Os pinguins de Madagascar” e é esse Zoo que inspirou os filmes “Madagascar” apesar de eu não ter encontrado por lá nenhuma das 4 espécies principais dos filmes, porém encontrei pinguins e lêmures que são um grande show.
Localizado a East Side entre a 63rd e 66th Streets a poucos passos da 5th Ave. O horário de funcionamento varia de acordo com a estação do ano, os ingressos custam 12 dólares adulto e 7 criança. Mas você ainda tem a opção de acrescentar o ingresso do filme 4-D por mais 4 dólares.
O Zoo Central Park é dividido em três partes principais (de acordo com os distintos climas – polar, tropical e temperado) “The polar circle” onde encontramos os pinguins e outros vizinhos do gelo; “The temperate territory” onde tem o tanque do leão marinho, macacos, pandas vermelhos e outros; e a parte que considerei mais interessante “The Rain Forest” uma grande “casa” na qual muitos pássaros coloridos ficam soltos e o visitante anda por entre seus habitats, aqui habitam além dos pássaros, lêmures, morcegos, algumas espécies de peixes e outros.

4 – Ouvir música do Delacorte Music Clock

O portal que citei no item anterior que é usado na abertura do desenho dos Pinguins na verdade chama-se Delacorte Music Clock, um relógio musical. É, sem dúvida uma grande atração para crianças e adultos pois a cada dia entre as oito da manhã e seis da tarde, o relógio – agora digitalmente programado – desempenha uma das trinta e duas músicas a cada meia hora. Os animais, esculturas em bronze que adornam o relógio, giram ao redor deste e em torno do próprio eixo. O relógio musical foi modelado por George T. Delacorte inspirado em algo que viu durante uma viagem a Europa, já as esculturas dos animais foram criados pelo escultor Andrea Spadini.

5 – Alimentar os animais no Children’s Zoo

Passando pelo Delacorte Music Clock, saindo da parte principal do Zoo e caminhando um pouco mais a frente, pode-se visitar o Children’s Zoo. Usa-se o mesmo ingresso para entrar neste outro anexo do Zoo. Este pedacinho do zoológico voltado para as crianças conta com decoração específica e algumas experiências sensoriais. Parte dos animais podem ser tocados e alimentados, essa é a melhor parte da brincadeira!

6 – Patinar no Wollman Ice Skating Ring

Bem pertinho do Zoo, localizado no east side  está o Wollman Ice Skating Ring, onde funciona uma escola de patinação. A pista também está disponível para ser alugada para quem já tem seu patins e também pra quem precisa alugar um patins. Os valores variam de acordo com o objetivo, se vai alugar o patins ou apenas usar o ring. Funciona desde o início do outono até o fim do inverno e atrai milhares de moradores e turistas estrangeiros. Os horários também variam de acordo com o dia da semanal mas todos os dias podem ser aproveitados também a noite. Consulte o site do Central Park para mais informações.

7 – Admirar o Central Park Carousel

O “Carousel” é um ponto tradicional no meio do Central Park próximo a 64th street, queridinho dos filmes nova-iorquinos e encantador, em especial aos olhos das crianças.  É o passeio mais famoso e popular desde 1871 quando foi aberta a atração original. Com uma história incrível desde esta data e claro, substituído várias vezes, o mais recente atualização foi feita em 1990 mas desde então os cavalinhos já passaram por novas restaurações.
A atração fica aberta todos os dias de Abril a Setembro das 10h as 18h e aos fins de semana nos meses de Novembro a Abril (se o clima permitir) das 10h as 16h30. Ingressos 3 dólares uma volta.

8 – Brincar de jogar beisebol e softbol nos Heckscher Ballfields

Os Ballfields Heckscher consistem em seis campos de beisebol e softbol localizados próximos a 63 street no Central Park a oeste do Carrossel e com o Ballfields Café nas proximidades. Esta área tranquila rodeada por árvores cria uma atmosfera divertida, para desfrutar de um jogo de beisebol. É necessária uma licença para jogar, e o custo do uso desses campos é de US $ 8 por sessão.

9 – Levar as crianças para brincar no Heckscher Playground

cp_2Para aqueles que estão viajando com crianças o Central Park é sempre uma boa opção de passeio por tantas ofertas para elas. Andando pelo parque pode-se encontrar em diversos pontos parquinhos infantis mas o Heckscher Playground  é o parque mais antigo e também o maior do Central Park com quase três acres. Além das atrações típicas do parque , tais como uma variedade de escorregas, balanços e gangorras, o Heckscher Parque apresenta rochas gigantes para a escalada. Ele também é famoso por seus jogos de bola, que são populares durante o verão.
Localizado entre a 61st street e 63rd street e está aberto das 07:30 até o anoitecer. Possui  banheiros e carrinhos de lanche e é mais adequado para crianças de 6 a 12.

10 – Tirar uma foto ao lado do Balto

Ao norte e  bem próximo do Zoo das crianças, pode-se visitar a estátua de um herói canino, o Balto. O cão de trenó está nobremente sentado sobre uma rocha no parque com acesso pela East Drive e 67 street.  a homenagem é para a as equipes e cães que enfrentaram tempestades de neves no Alaska no ano de 1925, quando o estado foi acometido por um horrível surto de difteria e estes viajaram 647 milhas para entregar medicamentos.

11 – Visitar o Tavern on the Green

cp_3O restaurante tornou-se um ícone de Nova Iorque, já apareceu em diversos filmes e foi estabelecido em 1934. Com várias salas, incluindo a sala Crystal, que oferece belas vistas sobre o jardim adjacente. Você pode observar a beleza do local ou ainda fazer uma reserva para aproveitar uma refeição no segundo restaurante de maior visitação nos EUA, somando mais de 500.000 visitantes.

Nos seus primeiros anos o Tavern on the Green era conhecido por sua pista de dança espaçosa nas noites de danças e música ao vivo. O restaurante foi frequentado por artistas famosos e celebridades. John Lennon celebrou vários de seus aniversários ali no final dos anos 70, e foi o restaurante de escolha para a abertura de festividades da noite de shows da Broadway.

12 – Fazer piquenique, tomar sol ou fazer ioga no Sheep Meadow

Este campo de 15 acres hoje é utilizado para banhos de sol, empinar pipa/papagaio, fazer relaxantes piqueniques de verão. Mas a sua criação tinha um propósito de servir como ponto de parada para exercícios militares.

O Sheep Meadow é um ambiente tranquilo de contato com a natureza, aberto de Maio até meados de outubro, admite até 30.000 pessoas por dia nos meses do verão. Ali próximo são oferecidas aulas de ioga paga – Vinyasa Yoga Classes – durante os meses já citados. Pode-se fazer reserva e consultar o calendário de aulas no site do Central Park.

13 – Caminhar e/ou parar para um descanso a sombra das grandes árvores do The Mall

O The Mall é o único percurso em linha reta de todo o interior do parque (intencionalmente). Este grande corredor é marcado pela presença de das árvores norte-americanas, “Elm trees“, sendo cada uma delas, assim como as demais milhares de árvores do parque, monitoradas e conservadas, com auxilio de um banco de dados, pela equipe de conservação.  Sem dúvida, as árvores do Central Park tem um impacto importante sobre o ambiente urbano. Melhoram a qualidade do ar e da água; ajudam a reduzir tempestade, inundações e erosão, e a temperatura do ar no verão. É por isso que o Central Park é chamado pulmões de New York City.

Mas informações a parte,  o lugar é lindo e perfeito para uma parada. Ao longo dele é possível encontrar artistas expondo suas pinturas. Ao final do longo caminho há uma estátua de Cristovão Colombo. Sua localização é ao centro do parque entre as ruas 66th e 72nd streets.

14 -Admirar e fotografar o Edifício Dakota onde viveu John Lennon e vive Yoko Ono

Dakota

Dakota

Na esquina da 72nd street e Central Park West, bem em frente a uma entrada para o Central Park está o Dakota building. Ali viveu John Lennon e ainda vive a artista e viúva Yoko Ono, proprietária de todo o sétimo andar. É comum passarmos por este trecho e ver os turistas com seus olhares voltados para o alto do edifício e/ou fotografando. Bom, ninguém garante que você verá algo extraordinário ou a própria Yoko mas já que está passando por ali e a sua próxima parada provavelmente será o Strawberry Fields, por que não registrar?

15 – Homenagear John Lennon no Strawberry Fields

O Strawberry Fields fica no Central Park West próximo as 71st e 74th streets. A área é uma homenagem ao Beatle John Lennon, que junto a sua esposa Yoko Ono viviam ali perto no Edifício Dakota. Foi aqui, andando para sua casa, em 08 de dezembro de 1980, que John Lennon foi assassinado e morto a tiros.

Em março de 1981 a área do Central Park, favorita do casal, foi nomeada como Strawberry Fields, como a canção dos Beatles “Strawberry Fields Forever”. O espaço foi redesenhado com a ajuda do arquiteto e  paisagista Bruce Kelley e a doação de um milhão de dólares de Yoko. O mosaico preto e branco “Imagine” evoca uma visão de esperança e paz para o mundo, assim como a inspiração da canção dos Beatles e as ideias ativistas de Lennon. 

16 – Contemplar a área Cherry Hill

Cherry Hill Fountain

Cherry Hill Fountain

Com uma vista tranquila para o lago, Cherry Hill fica próximo ao Strawberry Fields na altura da 72nd street. O local foi nomeado devido as belas cerejeiras que ali florescem na primavera. Infelizmente não se pode ter a espetacular visão das cerejeiras durante todo o ano, mas ainda assim o local vale ser visitado pela bela vista e para conhecer fonte das cerejeiras onde se destaca os candeeiros de  vidros decorativos e globos. A fonte Cherry Hill Fountain também já foi cenário de muitos filmes e é realmente um local nostálgico. Aqui passam as charretes de passeios, é preciso até cuidado ao atravessar a rua que dá acesso a fonte pois ali é uma rotatória onde as charretes contornam. O projeto é de Jacob Wrey mesmo designer da Fonte de Bathesda, nossa próxima parada.

17 – Tirar lindas fotos no Bathesda Terrace

Com uma arquitetura maravilhosa o local tem vistas deslumbrantes contando com um terraço, uma das primeiras construções do Central Park (concluída em 1863),  e uma fonte majestosa, que citei no item anterior. O Bathesda Terrace conta com um terraço superior e outro inferior conectados por duas escadarias e a frente a Bathesda Fountain. Tenho certeza que, mesmo se você ainda não visitou o local, você o conhece pelos filmes. Figurinha carimbada e ainda mais lindo ao vivo apesar de nunca tão vazio como nos filmes.

Aqui ainda pode-se apreciar o Bethesda Terrace Arcade, um arco de passagem que liga a fonte ao Lago Central Park. Todo esse lugar incrível fica na altura da 72nd Street e é visitado por milhares de turistas todos os anos. Nos finais de semana principalmente, o local fica bem cheio. Crianças brincam ao redor da fonte, artistas se apresentam a cada lado e aqueles que passeiam de bicicleta param por ali.

18 – Ouvir uma narrativa com as crianças e/ou tirar uma foto ao lado de Hans Christian Andersen e o Ugly Ducking

A estátua de Hans Christian Andersen foi construído em 1956 para comemorar o aniversário 150 do autor. A homenagem ao poeta dinamarquês, romancista e muito lembrando pelos contos infantis foi retratada com uma grande estátua de bronze de Andersen lendo seu livro do “Patinho Feio” – Ugly Ducking. Esculpida por Georg John Lober.

Parte da razão da popularidade do local é devido as narrativas das manhãs de sábado que ocorre durante os meses de verão ao pé da estátua. A partir de 11:00h, faça chuva ou faça sol, nos meses de Junho a Setembro, as crianças e seus acompanhantes são convidados a assentar-se para ouvir leituras de contos clássicos de Andersen.

19 – Ver os pequenos barcos do Kerbs Boathouse sobre as águas do Conservatory Water

Inspirado pelas lagoas destinadas a passeios de barcos o Conservatory Water foi criado para adultos e crianças experimentarem o prazer de “dirigir” um pequeno barco. O local fica repleto de barcos controlados por controle remoto durante os meses mais quentes (de abril a outubro ou novembro dependendo do clima) e no inverno a piscina vira uma pista de gelo para patinação. Próximo a 72nd street a área tem muitas atrações ao redor por isso fica sempre movimentada, o Conservatory faz divisa com a Estátua do Andersen e da Alice no País das Maravilhas e conta com o apoio da casa de barcos Kerbs Boathouse que também aluga barcos de controle remoto.

20 – Visitar Alice in Wonderland

Construida em 1959 a escultura de George Delacorte permite que as crianças experimente um pouquinho da maravilha do mundo de Alice brincando com o Chapeleiro Maluco, o coelho,  o gato e outro amigos todos em bronze.  De forma atípica da maioria das esculturas, aqui as crianças são convidadas a subir, tocar e  se arrastar por todo o conjunto da escultura de Alice in Wonderland. Em especial aos fins de semana o local fica cheio e as crianças brincam por toda parte. Praticamente, impossível conseguir uma foto exclusivamente da escultura, sempre acompanhada de alguns pequenos.

21 – Parar para um café e um passeio de barco no The Loeb Boathouse Central Park

O restaurante bar The Loeb tornou-se uma construção icônica e de referência, lindíssimo local a beira do lago com mesas na varanda ao ar fresco serve todas as refeições, com exceção do jantar nos meses de inverno. Além disso o local também funciona como uma casa de barcos e os aluga por hora para passeios no lago, ou se preferir, um passeio de gôndola. Os horários e valores para passeios de barco assim como menus e espaço para reserva no restaurante você encontra no site.

Para almoço ou jantar no restaurante principal e na varanda com vista para o lago é melhor garantir uma reserva, caso não tenha você pode optar por um lanche rápido. Tem um balcão de pedidos antes de entrar neste salão principal. Pediu, pegou e sentou nas disputadas mesinha da área coberta ou da área externa com vista pro parque. Mas tenho que ressaltar que os lanches são bem gostosos!

22 – Admirar o lago e os barcos das pontes: Bow Bridge e Oak Bridge

Bow Bridge


Oak Bridge

Oak Bridge

São dois locais marcantes, a primeira mais ao meio do lago e a outra já no final da baía “Bank Rock Bay”.  A Bow Bridge é uma ponte curva, graciosa de estilo vitoriano que encanta os românticos da vida real e da ficção, muito retratada em filmes é realmente um cenário magnífico.  A Oak bridge com seus balaústres de ferro remete a nostalgia. Ambas se refletem nas águas do lago do Central Park e tornam-se pontos marcante para os fotógrafos e para quem quer pousar para a foto num local tão marcante do parque.

23 – Fazer uma sessão de fotos no Ladies Pavilion

Uma construção antiga em local isolado do parque, perto do lago nas proximidades da 75th street, o Ladies Pavilion era usado para eventos especiais e casamentos intimistas. Toda feita de ferro fundido, ardósia, madeiras e pedras, por alguns anos foi usado como casa de apoio para as pessoas que patinavam no lago, o que atualmente não mais é permitido, somente nos “rings” próprios.

24 – Visitar o Museu de Historia Natural

O American Museum of Natural History não fica localizado exatamente dentro do Parque mas como disse as dicas são também dos arredores. Saindo do parque após a Ladies Pavilion na direção da 77th street é só atravessar a Avenida Central Park West e estará na frente do Museu. Ou ainda se vier de metrô tem uma estação com o nome do Museu que vai te dar acesso ao Museu.

Grande e cheio de atrações em seus diferentes pavilhões é uma atração muito legal para aqueles que estão ou não acompanhados de crianças. Falei um pouco do museu no meu primeiro artigos sobre Nova Iorque We Love NYC. Reserve pelo menos meio dia para conhecer o local!

25 –  Swedish House Marionette Theater

A casa de 1876, foi originalmente construída como um modelo de escola pré-fabricada. Após uma série de usos diversos, quase sempre voltados para crianças, tornou-se a sede, em 1939, de um Teatro de Marionetes. O Swedish House Marionette Theater se destaca por grandes produções dos clássicos infantis. Os ingressos para as peças de teatro de Marionetes são pagos, o calendário das atrações e agenda você pode consultar no site da organização. Ingressos podem ser comprados aqui.

26 – Caminhar pelo pequeno porém lindo Shakespeare Gardens

O lindo jardim foi preenchido com plantas e flores mencionadas nas obras do dramaturgo William Shakespeare, e também com aquelas flores que faziam parte de seu próprio jardim privado. A homenagem nomeando o jardim como Shakespeare Gardens aconteceu em 1916, no advento do 300º aniversário da morte de William Shakespeare.

Citação de Romeu e Julieta

O jardim fica na altura da 79th street no lado oeste do parque e as plantas dali variam de acordo com a época do ano. Placas de bronze com citações das peças estão colocadas ao longo do caminho. Ali perto está o teatro Delacorte onde acontece anualmente no verão o evento “Shakespeare in the Park”. E é caminho para você visitar o Belveder Castle.

27 –  Assistir a uma peça ou visitar o Delacorte Teather

Vista do Belveder Castle para o Delacorte Teather

O Delacorte Theater, criada em 1962, fica no canto do Great Lawn – grande gamado perto da rua 80th street. Ficou conhecido pelos eventos gratuitos, em especial o Shakespeare no parque, já citado no item 25. Muitas dezenas de visitantes e moradores vão apreciar as peças mas é necessário ter tempo livre para esperar na fila para obter os ingressos.

28 – Admirar o Central Park do Belveder Castle

Belveder Castle, trás no nome o significado de “bela vista” em italiano e é exatamente o que este local oferece aos seus visitantes. Um pequeno castelo construido em 1865 com duas varandas em alturas diferentes que permitem uma vista panorâmica do parque e seus arredores. É um ótimo local gratuito para se observar  parte da cidade, dali se avista principalmente, alguns pontos famosos do Central Park como o Turtle Pond (lago das tartarugas e é possível ver as tartarugas tomando sol nas pedras ao redor do lago); Delacorte Theater, o Grat Lawn entre outros.

Turtle Pond – tartarugas tomando sol nas rochas da encosta

Há vários programas familiares e gratuitos ao longo do ano neste castelo, inclusive no Halloween ele virá um castelo mal assombrado.

29 – Passar por um dos diversos arcos do Central Park: Glade Arch e Greywacke Arch

Não importa por onde você ande no parque certamente uma hora você passará por uma bela ponte e por um dos muitos belos arcos também. Caso você opte por andar um pouco pelo lado oeste, visitando o Belveder Castle e de lá ir para o lado leste em direção ao The Metropolitan Museum of Art, passe pelo Glade Arch a cima uma ampla passarela e a baixo um arco para os amantes da arte. O interessante é que há banheiros disponíveis no local.

Se possível conheça também pelo Greywacke Arch, próximo ao Columbus Circle este é um dos arcos mais trafegados do parque, com um fluxo constante de ciclistas, corredores, patinadores, e carruagens sobre o Drive West. Este é um dos arcos que exemplifica uma gama de desenhos decorativos nas criações de pontes e arcos por todo o Central Park.

30 – Visite o The Metropolitan Museum of Art

Vista para Central Park pelo interior do Met

Vista para Central Park pelo interior do Met

Também conhecido como Met – o Metropolitan Museum of Art é incrível, enorme e belíssimo. Um dos seus espaços é todo de vidro com a vista voltada para o Central Park, ou inverso, se você caminha pelo parque pode observar dentro do Met. Mas a entrada do Museu é pela Quinta Avenida, próximo a 80th street. Pela sua grandiosidade é preciso um bom tempo para visita-lo.

Interior do Met, de um dos salões em vidro pode-se observar a beleza do parque

Interior do Met, de um dos salões em vidro pode-se observar a beleza do parque

31 – Conhecer o obelisco

O Obelisco, é um antigo artefato encomendado pelo faraó Tutmósis III por volta de 1450 a.c. Foram construídos dois obeliscos, ficavam em Alexandria, e a dupla foi separada no final do século 19 (1881), um deles enviado para Londres e outro para Nova Iorque, pelo Khedive do Egito em troca de ajuda na modernização do país.  Na sua chegada a NY muito trabalho, foram 4 meses somente para remover o obelisco do Rio Hudson ao Central Park, onde está agora, atrás do Museu Metropolitano de Arte.

Também conhecido pelo apelido de agulha de Cleópatra, o obelisco é conhecido como a construção mais antiga e mais alta (tem 71 pés de altura) feita pelo homem no Central Park.

32 – Fazer piquenique, tomar sol ou curtir a natureza no Great Lawn

No centro do Central Park encontra-se a Great Lawn, um pasto verde de 55 acres, que é considerada uma das mais famosas gramados do mundo. Aberto de meados de abril a meados de novembro. Localizado no meio do parque a partir de 79 a 85th Streets o grande gramado já teve várias finalidades, entre elas durante a Grande Depressão da área serviu como a casa de moradores desabrigados e suprimentos excedentes e restos de materiais da construção de uma linha de metrô e do Rockefeller Center.

O Great Lawn é famoso não só por sua beleza. Ele foi o anfitrião de longo tempo a concertos anuais, como a Filarmônica de Nova York e da Ópera Metropolitana, assim como outras performances memoráveis por de classe mundial atos como Diana Ross, Bon Jovi e Garth Brooks.

33 – Caminhada ao redor do Jaqueline Kennedy Onassis Reservoir

Alberto Arroyo Running Track  é o nome da pista ao redor do reservatório. Excelente pra caminhar ou correr, com uma vista inspiradora, a calmaria do lago e ao fundo os arranhas céu. Atenção pois tem um único sentido, anti-horário.

Há vários acessos a pista mas o principal é nas proximidades da 90th street lado leste. Nesse acesso principal tem o memorial de John Purroy Mitchel (1879-1918), que, como prefeito de Nova York, 1914-1917, era conhecido por seu idealismo intransigente e honestidade escrupulosa e é relatado erroneamente como o prefeito mais jovem já eleito em NY.

34 – Apreciar as lindas fontes e jardins do Conservatory Garden

Localizado na 5th Avenue e 105th street, o Conservatory Garden apesar de ter acesso e estar dentro do central parque, é cercado e tem horário de funcionamento, aberto diariamente das 08:00 até o anoitecer. O Conservatory Garden é o único jardim formal encontrado no Central Park. A atmosfera tranquila, calma do jardim, livre de corredores e ciclistas, faz com que seja um local ideal para passeios relaxantes, uma boa leitura ou um momento a dois.

Burnett Fountain

O Jardim aberto em 1937 foi projetado por Gilmore D. Clarke com belas plantas sazonais que são organizados em três estilos: Inglês, Francês, e Italiano. Também abriga duas belas fontes, a Untermyer Fountain e a Burnett Fountain.

Untermyer Fountain

35 – Se refugiar na floresta do The Ravine e apreciar The Loch

loch-l

The Loch (imagem do site oficial do Central Park)

Está área do parque foi criada pensada como uma fuga urbana onde os visitantes podem apreciar a natureza. No The Ravine o horizonte da cidade está oculto e o som de uma cascata, The Loch, abafa o som da metrópole apesar de tudo ser artificial.

A floresta artificial também conhecida como North Woods fica na altura da 103th street, como se ficasse atrás da Conservatory Garden, suas divisas são marcadas com dois dos diversos arcos rústicos presentes em no Central park. Também há outras cascatas nesta área. Sinceramente, como é um parque muito extenso e o local fica ao meio na parte norte, eu nunca consegui chegar próximo as cascatas que são formadas aqui.

36 – Ter uma aula de patinação no Lasker Rink

Uma piscina no verão, e no inverno quando a água congela troca-se os trajes de banhos por patins de gelo. Localizado ao norte do The Ravine entre as ruas 106th e 108th street, o Lasker Rink tem vista para o Harlem Meer. No inverno, entre o final de outubro e final de março, a pista está aberta diariamente. Para patinação há a possibilidade de aulas privadas e também aulas de hóquei para todas as idades. Para consultar valores, horários e outras informações, visite o site oficial do Lasker Rink.

37 – Conhecer o Harlem Meer

Águas cercadas por exuberante vegetação numa atmosfera tranquila, é como podemos definir o Harlem Meer. Fica ao norte do Conservatory Garden e conta com uma variedade grande de tipos de árvores as suas margens (entre estes ginkgo, carvalho, cipreste); e rosas e hortênsia florindo respectivamente na primavera e verão.  Neste local pode ser explorado a pesca de captura e libertação, e logo ali perto, além do lasker rink (já citado) há um grande playground infantil.

38 – Marcar um piquenique, ou fazer uma caminhada no Great Hill

cpO Great Hill é uma colina oval de gramado macio equipado com mesas para piqueniques e uma pista de caminhada ao redor. Recebe, na primavera e verão, festivais de jazz também muitos visitantes durante o tempo que fica aberto. Isto porque o Great Hill é fechado durante o inverno para que a equipe de conservação possa prestar os cuidados necessários para manter a paisagem local. O local fica ao norte voltado para o lado “west” do parque na altura da rua 105th.

39 -Visitar praças que dão acesso ao parque como a Grand Army Plaza

Grand Army Plaza

Entrada principal pelo lado leste, extremo sul, do parque a Grand Army Plaza passou recentemente (em 2015) por uma reestruturação (e na minha última visita a encontrei ainda mais espaçosa). Aqui você fica entre dois mundos, vendo a agitação da quinta avenida, bem próximo da badalada loja da Apple e a calmaria do lado de dentro do Central Park, o que incomoda é o cheiro forte das fezes de cavalo pois as charretes de passeio se concentram ali em frente. Sendo assim, é um lugar pra passar, olhar como ficou imponente a tradicional escultura dourada erguida em honra a William Tecumseh Sherman numa homenagem ao Exército da União na Guerra Civil (nome da praça).

Frederick Douglass Circle Plaza

Cada um dos cantos do retângulo formado pelo Central Park tem uma praça. Do outro lado no extremo sul, lado oeste tem o Columbus Circle, que darei mais detalhes em seguida. E ao norte encontra-se, do lado leste Duke Ellington Circle; e do lado oeste o Frederick Douglass Circle Plaza cada qual com suas singularidades.

40 – Explorar o Columbus Circle e voltar a sociedade capitalista na Time Warner Center

Columbus Circle

Columbus Circle

Brincadeiras a parte, a entrada sudoeste do parque é maravilhosa! Com exceção dos milhares de vendedores de passeios que ficam te importunando na calçada para alugar bicicleta, vender city pass e passeios de charrete, e tudo mais que não falta em lugares turísticos.

No Columbus Circle tem-se, de um lado, a entrada do parque com a escultura dourada, ao centro uma aconchegante pracinha em meio ao pesado trânsito nova-iorquino e do outro um belo centro comercial – shopping – cheio de lojas interessantes e uma boa praça de alimentação. E se ainda houver fôlego suba a Broadway que você irá encontrar lojas grandes, daquelas que adoramos como: Best Buy, Bed Bath & Beyond, Century 21, Trade Joy e várias Duane – Walgreens ou CVS. É uma região bem legal! E ainda tem lugares como o Lincoln Center que já coloquei no roteiro básico do We Love NYC. Enfim, acaba a paz do parque e voltamos a agitação da Big Apple. Mas nós sempre adoramos tudo isso!

Time Warner Center

Time Warner Center

Lembre-se…

Por fim, lembre-se que algumas atrações são viáveis de acordo com o clima mas independentemente deste você sempre terá coisas legais pra ver e fazer no Central Park. Seja qual for o seu mês de visitação a Nova York tire um tempo para visitar o parque.

Se você precisar de informações sobre o parque e seus programas pode encontra-las em vários quiosques espalhados pelo parque. Um deles é o Dairy Visitor Center & Gift Shop. Aproveite para pegar um mapa, o Dairy fica perto da lagoa,  entre as ruas 64th e 65th streets, ao meio do parque e o horário de funcionamento é das 10h as 17h diariamente.

Quer conhecer mais sobre NY? Tenho outros artigos aqui no site que podem te ajudar visite:

We love NYC
 Entendendo Nova York
Um pouco mais de Nova Iorque
Flor de lótus nas águas de uma das fontes do Conservatory Garden

Flor de lótus nas águas de uma das fontes do Conservatory Garden

Facebook Comments

Deixe uma resposta