As espetaculares cidades alagoanas – Maragogi

A poucos quilômetros da capital Maceió terminando na divisa com Pernambuco está Maragogi com praias em que na maré baixa possível andar metros e metros para dentro da praia ou nadar nas diversas piscinas naturais ao lado de uma variedade de peixes.

Galés em Maragogi

Galés de Maragogi

Uma cidade calma, tranquila e aconchegante, sem muita badalação fora do período de réveillon e carnaval (altíssima temporada local) e cercada de praias de tirar o fôlego. Venha conferir!

Foram quatro dia de céu e mar azul, águas calmas limpas e mornas. Não precisava mais nada… Fiquei hospedada numa pousada simples, gerenciada por um casal, na avenida da praia no ponto mais central, ali eu tinha por perto restaurantes para meu jantar, receptivos (muitos) para agendar meus passeios e uma bela e extensa faixa de areia para caminhar nas manhãs e curtir a praia.

Praia de Maragogi com extensa faixa de areia

Praia de Maragogi com extensa faixa de areia

Na estrada com bela paisagem a direita

Mas voltando um pouquinho na história, como cheguei aqui? Eu contei no artigo sobre Maceió que chegando no aeroporto aluguei um carro para maior liberdade. Passados 3 dias em Maceió peguei estrada rumo a Maragogi. Este trajeto também pode ser feito em vans (comprando os passeios em Maceió) o linha de ônibus (o qual é bem demorado e sem opções de horário, mas vale a pena para quem não puder alugar um carro e preferir maior liberdade do que nos passeios com hora marcada pra tudo das vans).

mapa_maragogi

De carro pode-se optar pelo caminho demonstrado no mapa (imagem Google Maps), saindo da AL-101 e pegando a AL- 105 (longe da costa litorânea), é o trajeto mais curto e rápido. A pista é simples mas estava bem conservada e pouco movimentada. Ou ainda se quiser ir pela costa fica na AL – 101 mas tem que atravessar trechos de balsa, a viagem pode durar até mais que o dobro do tempo gasto na rota mostrada na imagem. Na ida como eu tinha mais tempo passei por Barra de Camaragibe. Gastando pouco mais de 2 horas de viagem. A volta segui o trajeto curto (cheguei e voltei pelo aeroporto de Maceió). É de fácil acesso também a ida para Maragogi vindo de Recife.

Encontro do Rio e mar com muitas formações de banco de areia

Encontro do Rio e mar com muitas formações de banco de areia

Como disse fiquei hospedada na área central mas há pousadas por toda a extensão de Maragogi até São José da Coroa Grande (cidade pernambucana que faz divisa). Os maiores hotéis e mais luxuosos estão mais ao norte da cidade, nas praias Antunes e Barra Grande, com exceção do Salinas que encontra-se bem ao sul da praia de Maragogi.  Cheguei e já fui logo conhecer a praia de Maragogi, por que perder tempo, não é? E logo me encantei com o local, caminhei até na direção sul chegando ao encontro da praia com um rio, o trecho seguinte até o final da praia já é bem deserto.

Catamarãs e Jangadas na Praia de Maragogi

Catamarãs e Jangadas na Praia de Maragogi

Chegando já procure um receptivo para marcar os passeios que interessarem pois o passeio as galés – imperdível – é limitado e muito concorrido, sem contar que os horários mudam de um dia para o outro para acompanhar a tábua da maré, ou seja, é preciso programar outro dia com antecedência. Ou ainda você pode querer fazer um passeio que não tem todos os dias e terá que conciliar. Eu por exemplo, escolhi ir a Praia dos Carneiro (em Pernambuco, classificada entre as 5 praias mais bonitas do Brasil) e este passeio não acontece as segundas-feiras. Conto sobre este passeio no artigo Praia dos Carneiros – PE

Passeios – Meu roteiro

Bugues adentrando a praia pelos bancos de areia

Frappe de Café pra refrescar

Frappe de Café pra refrescar

Primeiro Dia – Já contei que cheguei na cidade no meio da tarde, ainda sem almoço parei numa conveniência muito boa na rodovia – Autocafé – tem de tudo, café da manhã, almoço, lanches e jantar (até com caldos), mercadinho com o essencial, caixa 24horas e wifi. Super limpo e bem organizado.

Aproveitei o fim da tarde para caminhar pela praia de Maragogi na direção sul e uma pausa para banho no mar. Visitei um dos centros de artesanatos que ficam na avenida próxima a orla (Avenida Senador Rui Palmeira). E já que estava por ali, especulei os valores dos passeios em dois receptivos, também peguei sugestões com a dona da pousada e me programei para os demais dias.

 

Ao fundo cidade pernambucana que faz divisa com Alagoas

Segundo dia – Saindo cedo para passeio de bugre pelas praias ao norte até a divisa do Estado. Passamos por várias praias incluindo Antunes, Barra Grande, Praia da Bruna, Ponta do Mangue, quase todo o trajeto pela areia, em alguns momentos o bugueiro precisa pegar a rodovia pois há locais próximos a hotéis e pousadas, com maior movimento de pessoas, que não é permitido o trafego de bugres.

As praias são para encantar qualquer um, fomos da divisa com São José da Coroa Grande e voltamos fazendo paradas em todas as praias. A primeira parada foi na Ponta do Mangue, a maré ainda baixa permitia ir caminhando em direção aos arrecifes, que fica a uns 2km da faixa de areia, com a água nunca passando da altura da cintura.

Arrecifes

Arrecifes praia Ponta dos Mangues

A outra parada maior foi em Barra Grande, com muitos bancos de areia, o bugueiro nos levou muito adentro do mar com a água baixa nos pneus. Ali descemos e adentramos ainda mais caminhando dentro d’água. Olhem a distancia pela foto!

Maré baixa com bancos de areia, água nos pés a metros e metros da praia

Maré baixa com bancos de areia, água nos pés a metros e metros da praia

Fiquei muito encantada com a distância que andávamos dentro destas águas calmas e a cor, olha a core das águas!

Praia do Antunes

Praia do Antunes

E por fim, desfrutamos da Praia do Antunes. O passeio ocupou a manhã toda, não lembro exatamente quantas horas, dividi o bugre com um casal que estava hospedado na mesma pousada e o bugueiro era contato do pessoal de lá. Todos os receptivos oferecem esse passeio e o valor é por bugre então você paga valor cheio ou divide por até 4 pessoas (um pouco desconfortável, andei assim em Natal) o ideal, na minha opinião, são 3 pessoas (mais motorista).

A tarde aproveitei para conhecer Japaratinga, uma cidade vizinha, pequena, a uns 10 minutos de carro. A praia também tem piscinas naturais e passeios as galés como em Maragogi. Aliais, depois desta, na região, aquela é a cidade mais movimentada porém eu a vi praticamente vazia na baixa temporada. Fiquei só mesmo contemplando o local, caminhando e conversando com os locais, não fiz nenhum passeio em especial.

Japaratinga

Japaratinga

Terceiro Dia – Fiz um passeio para a Praia dos Carneiros, em Pernambuco. Esta praia é particular mas o acesso é fácil. Fechei este e o passeio das Galés com o Receptivo “Corais de Maragogi” (agência e restaurante a beira mar). A praia está no ranking das 5 melhores e mais bonitas praias do Brasil. E faz jus! Fiz um artigo para este local pois são muitos detalhes que gostaria de compartilhar com vocês. Digo que vale a pena conhecer, veja os motivos em Praia dos Carneiro.

Quarto dia – Passeio as Galés de Maragogi. Como relatei, o horário depende da tábua das marés da Marinha (mar.mil.br/dhn), você pode consultar neste link ou com as pousadas.

Galés de Maragogi

No catamarã, a volta

No catamarã, a volta

As Galés são piscinas naturais praticamente no meio do mar, ficam a 6 km da costa. O acesso é de catamarã num trajeto que demora mais ou menos uns 30 minutos. Estes passeios são feitos na maré baixa, o que geralmente é bem cedinho, e mesmo tão distante da faixa de areia, aqui a água é rasa, morna e muito transparente. Fica tudo cercado de corais e peixinhos coloridos que estão tão acostumados com a presença de turistas que nadam entre as pernas das pessoas indo de um coral a outro, com sorte você também vê estrelas do mar. Toda a área está sob Proteção Ambiental, então alguns cuidados devem ser observados, como não levar alimentos pro local, não alimentar os peixinhos e não pisar nos corais, podemos andar, nadar e mergulhar aos arredores deles.

Peixes acompanhando o fotografo da equipe

Ainda dentro do catamarã é oferecido mergulho com cilindro, pago a parte, aluguel de snorkel para a flutuação e pacotes fotográficos. Fique atento e se quiser estes itens negocie antes, tente fechar pacotes mais vantajosos pois tudo é caro e pensado para lucrar com o turista. Eu levei óculos de mergulho, dispensei o snorkel pois como é bem raso dava pra mergulhar no fôlego e a máquina a prova d’água.

Este realmente é o passeio mais top e o mais procurado em Maragogi, é maravilhoso! Ali nas piscinas passamos um tempo que parece voar, você quer ver tudo, aproveitar cada segundo destas belezas naturais e com razão. A qualquer momento que precisar você pode voltar ao seu barco, marque o nome porque ao longo do tempo, vão chegando outros barcos e a gente nada pra um lado, anda pro outro dali a pouco está meio longe do barco.

Recomendo muito o passeio imperdível, vale o investimento e acordar cedo em plena férias!

Como este era meu último dia livre na cidade, a tarde curtir a praia de Maragogi. As barracas de praia tem mesas com guarda sol e espreguiçadeiras, é só consumir alguma coisa (não precisa ser um almoço completo, bebidas já vale) e ficar a vontade. Para aqueles que vão passar o dia vindo de Maceió somente para o passeio nas Galés vale ressaltar que o receptivo se instala em um restaurante (parceiro) e você fica condicionado a almoçar neste local. Como disse, no artigo sobre Maceió não recomendo este “bate e volta”, é cansativo, mas se for sua única opção ainda assim acho que não se arrependerá.

Não esqueça de conferir os artigos sobre Maceió e a Praia dos Carneiros

Resumo de Viagem
Local: Maragogi – Al
Principais Visitações: Praias
Parceiro de Viagem: nenhum, viajando sozinha
Fotografia: Taciana P Rocha
Ponto alto:  passeio as galés de Maragogi
Ponto baixo: passeio grande dificuldade para sacar dinheiro no fim de semana, as máquinas 24 horas se esvaziaram e não há reposição. Nem no banco nem no autocafé (únicos caixas eletrônicos do Banco do Brasil) foi possível sacar, e alguns restaurantes não aceitam cartão. Detalhe, era baixa temporada.
Duração: 4 dias
Ano: 2015 (novembro)

 

Deixe seu comentário, opinião ou dúvida, ficarei feliz em ler.
Siga nas redes sociais e não perca as novidades: Fanpage @turista.tips; Instagram @turista.tips; Google+ +TacianaPereiraRocha

Facebook Comments

Deixe uma resposta