New York – Side B – Um pouco mais de Nova Iorque

Descobri que não só amo New York, mas sou completamente louca por esse lugar!

Tive uma experiência incrível de ficar um mês em Manhattan fazendo um intercâmbio e pude visitar com mais calma lugares que conheci na minha primeira viagem a NY e conhecer novos e encantadores lugares… e agora quero compartilhar deixando as dicas para vocês.

Quem gostaria de vir comigo nesta recordação da minha nova aventura em NY?


Vamos aos relatos sobre alguns passeios…

Ponte do Brooklyn

Vou começar comparando um passeio que fiz novamente mas de uma maneira diferente, a Ponte do Brooklyn. Da primeira vez parti de Manhattan em direção ao Brooklyn já caminhando pela ponte, fui até determinado ponto e retornei. Lindo passeio porém, desta vez fui um pouco além com os colegas da escola, e tive a oportunidade de conhecer o píer do lado do Brooklyn e outros lindos parques. É um passeio fácil de fazer e o único custo é a passagem do metrô  (Não se esqueça que se for ficar em NYC 4 dias ou mais é vantajoso comprar o cartão – MetroCard. Leia o post “Entendendo Nova York“).

Pegamos o metrô linha F laranja e descemos na primeira estação no Brooklyn, chamada York Street Station. Aqui estamos na região DUMBO* – Down Under the Manhattan Bridge Overpass.

    * Dumbo é uma acrônimo em inglês “acronym” – para quem ficou tão curioso como eu fiquei a explicação: Acrônimo é a palavra formada através da junção de letras ou sílabas iniciais de um grupo de palavras, que se pronuncia como uma palavra só, respeitando, na generalidade, a estrutura silábica da língua. Diferencia-se da sigla porque a sigla é pronunciada segundo a designação de cada letra.

Saindo da estação do Metrô você se localiza na esquina das ruas Jay St. E York St. basta caminhar para o lado esquerdo pela York St., esta termina na Front St., continue a caminhada, neste ponto já se avista a Ponte do Brooklyn quase que acima de sua cabeça.

Ao chegar na esquina com a Old Fulton Street siga para a direita e já será possível avistar o píer 1 e Manhattan do outro lado. Aqui vale ressaltar que nesta esquina fica a pizzaria mais famosa do Brooklyn, a Grimald’s, ao lado outra tão boa quanto, porém, menos famosa, a Juliana’s pizza.

No píer 1 Brooklyn Bridge Park tem se uma bela vista da ilha, as fotos ficam lindíssimas, de dia ou a noite!

Píer 1 – Brooklyn Bridge Park

Brooklyn Bridge Park

 

 

Píer 1 – Brooklyn Bridge Park (01-10-13 aproximadamente 18 horas)

Píer 1 – Brooklyn Bridge Park (07-10-13 aproximadamente 21 horas)

Observação: Neste parque, principalmente durante o verão, há vários eventos, inclusive passeios pela ponte “free walking tour” guiado e de graça. É interessante fazer uma consulta antes de sua viagem: http://www.brooklynbridgepark.org/ ou NYC Parks

Ponte suspensa – Squibb Park

Caminhando pelo Brooklyn Bridge Park Greenway a esquerda há uma ponte suspensa, o Squibb Park, por ele se atravessa de volta às ruas do Brooklyn em direção a entrada de pedestre da ponte.

A direita outro parque / mirante muito belo, o Brooklyn Heights Promenade. Saindo de qualquer um dos parques siga a esquerda na Columbia Heights em direção à Ponte do Brooklyn até a entrada de pedestre para o promanade da Ponte. Daqui é só fazer a caminhada até o outro lado retornando a Manhattan, aproximadamente 2 km com uma visão espetacular!

Governors Island

A Governors Island é uma ilha de 86 hectares situada na baía de NY aproximadamente a 1 KM ao sul de Manhattan. Entre 1776 a 1996 foi base do exército e da guarda costeira. Atualmente, pertence a cidade de Nova York e é um Marco Histórico Nacional.

Fica aberta a visitação durante o verão e primavera com eventos e atividades diversas e há um Ferry gratuito que faz o trajeto de Manhattan até a Governors Island e vice versa. É um lindo local pra passear, andar de bicicleta (não há circulação de veículos na ilha e há pontos de aluguel de bicicletas e quadriciclos) . É comum ver famílias norte americanas passando o dia na ilha e fazendo picnic, também é possível encontrar muitos turistas que vão em busca, principalmente, de uma vista privilegiada da ilha de Manhattan e da Estátua da Liberdade.  Particularmente, adorei a paz de caminhar neste belo lugar!

Battery Maritime Building – Governors Island Ferry

É fácil chegar ao Ferry para a ilha, segue as dicas. Há três estações de metrô próximas, use aquela que for de fácil acesso onde estiver hospedado ou de fácil baldeação, são elas: Linha verde (4 e 5) sentido downtown descendo na estação Bowling Green, saia em direção ao Battery Park e caminha para o sul pela State Street ao fim desta rua verá a o Whitehall Terminal State Island Ferry (aquele Ferry gratuito que passa próximo à Estátua da Liberdade – dicas no post We Love NYC) logo ao lado esquerdo verá esta linda estação com arquitetura diferenciada da imagem ao lado que é a estação para a Governors Island chamada Battery Maritime Building. Linhas vermelha (1) e Amarela (R) ambas sentindo downtown descendo na estação South Ferry, essas um pouco mais próximo do Ferry, a saida da estação já é em frente a Whitehall Terminal State Island Ferry e ao lado esquerdo já se pode observar a outra.

      

Vista para Manhattan

High Line Garden

O High Line é um parque super charmoso! Uma antiga linha férrea ameaçada de demolição foi transformada pelos moradores da comunidade local em um parque público no West Side de Manhattan.

Um belo jardim suspenso linear que fica a 8 metros de altura e tem aproximadamente 2,5 Km atravessando por três bairros de New York (Meatpacking, West Chelsea e Hell’s Kitchen), que até então eram pouco visitados por turistas.

Inaugurado em 1999, é mantido por uma conservação sem fins lucrativos trabalhando com o Departamento de New York City of Parks & Recreation. Não é necessário percorrer toda a extensão do parque até porque são 19 quadras, e ao longo de seu trajeto tem diversos acessos (Gansevoort Street; 14th Street (elevator access); 16th Street (elevator access); 18th Street; 20th Street; 23rd Street (elevator access coming soon); 26th Street; 28th Street; 30th Street (elevator access) – Informações retiradas do site: http://www.nycgovparks.org/parks/highline ) A imagem mostra a vista do parque para a 26th Street.

Fachada do Chelsea Market

Minha sugestão é que entre no parque pelo acesso da rua 28 – 28th Street and 10th Ave. (se caso for de metrô há uma estação da linha vermelha 1 na 28th St and 7th Ave.) e vá caminhando pelo parque descendo até a altura da 16th Street., pois nesta rua se encontra o Chelsea Market, um lugar que merece uma visita e também é bom pra um almoço, especialmente se você gosta de frutos do mar – Recomendo o “The Lobster Place, Inc”.

Achei muito legal este vídeo explicativo sobre o projeto do ParqueVídeo projeto do High line

Vista para a 10th Ave.

Pintura de rua do brasileiro Kobra

Washington Square Park


Localizado no fim da 5 Ave, e Waverly Place, é um dos marcos mais conhecidos do Greenwich Village. Mais um belo parque público de New York  muito conhecido pelo seu arco, homenageando George Washington, o homem para quem o parque é nomeado, e sua fonte, é uma área muito segura pois conta com câmeras de segurança do departamento que cuida do parque e também é vigiado pelo corpo de segurança da Universidade de Nova York, a qual pertence a maioria dos edifícios que circulam a praça.

Alguns desses edifícios foram construídos pela própria universidade e outros, com atividades diferentes anteriores, convertidos em prédios de estudos acadêmicos ou de residência para estudantes. Apesar da universidade considerar que o local é parte do seu campus, o Washington Square continua a ser um parque público.

O parque/ praça é um ponto de encontro para artistas de vanguarda. Um campo de batalha para os entusiastas do xadrez. Um parque infantil e também uma parte, parque para cães (isso mesmo, uma área isolada somente para os caninos se divertirem e correrem). Washington Square Park tem servido vários papéis para a sua comunidade ao longo dos anos, adaptando-se para atender às suas necessidades. Abriga também vários outros monumentos e instalações., como por exemplo uma homenagem a Garibaldi.

Um ponto interessante é que após conhecer este parque pode-se caminhar pelas ruas do bairro conhecido como NoHo. São ruas tranquilas com poucos turistas e cafés e restaurantes aconchegantes. Sugiro que saia da praça em direção ao Washington Place e descendo em direção à Houston St. Neste ponto começa o SoHo, lugar ótimo para compras. Subindo pela Broadway Ave. chega-se a Union Square  outra praça conhecida pela presença de uma vasta ligação de linhas do metro e por abrigar uma eira livre em seus arredores. Nas imagens a Grace Church em NoHo e os caminhos floridos da Uniun Square.
     

Washington Square

Liberty Cruise – Statue of Liberty

No post anterior sobre NY “We love NYC” descrevi o passeio gratuito utilizando o Ferry para a Staten Island que passa em frente a Estátua da Liberdade, no qual é possível tirar fotos de longe mas não para na ilha da estátua e sim em um dos 5 “boroughs” – a Staten Island.   Na ocasião da minha primeira visita a Nova York a Liberty Island encontrava-se fechada para visitações devido a passagem e estragos deixados pelo furacão “Sandy”. Pensei que, novamente, eu não conseguiria realizar o desejo de estar nesta ilha uma vez que grande parte deste período que fiquei na Big Apple para o intercâmbio, a ilha estava fechada novamente mas devido ao “Shutdown” que é um fechamento temporário dos serviços do governo (leia a respeito: United States federal government shutdown of 2013). Para minha realização e alegria uma semana antes do meu retorno ao Brasil os serviços foram normalizados e a ilha reaberta para visitação – ufa!

Vista da ilha “Liberty Island” para Manhattan

Barco do cruzeiro

É um lugar muito bonito, com uma vista espetacular de Manhattan e  da própria estátua, confesso que sem muito o que fazer mas, na minha opinião, valeu pagar o Liberty Cruise. São 17 dólares pelo transporte de barco (chamado cruise – cruzeiro)  e entrada e permanência na ilha o tempo que se julgar necessário e mais 3 dólares para subir até a coroa da estátua da Liberdade, isso mesmo colega leitor, é pago a parte a subida dos 354 estreitos degraus no interior da estátua e é necessário pedir essa inclusão no seu ingresso no

Castle Clinton, museu e local para compra dos ingressos

momento da compra no Castle Clinton, situado no centro do Batery Park, mesmo local de saída dos cruzeiros. Que fique claro que este acesso à coroa da estátua não é vendido a parte na Liberty Island. Minha dica especial, sente-se do lado direito do barco que você terá uma visão privilegiada da Ellis Island e da Liberty Island na chegada.

 

 

 

 

1435 - Batery Park NYC 24-10-13

Monumento aos imigrantes no Batery Park

1437 - Cruise for Statue of Liberty Batery Park NYC 24-10-13

Liberty Island – Vista da estátua da Liberdade próximo a loja de souvenirs

Edifícios marcantes de NYC

Chrysler Building

Muito se fala do Empire State Building e do Rockfeller Center, por outro lado poucos sabem a história deste belíssimo prédio no coração de Nova York e o qual é possível ver de diversos pontos da ilha (e fora dela) e também em muitos filmes hollywoodianos.
O Chrysler foi construido em 1929 e por pouquíssimo tempo foi o prédio mais alto do mundo. Foi o primeiro prédio da história da construção civil a receber aquela agulha, no alto de seus 77 andares passando a ter 320m de altura e tirando o título do então prédio mais alto do mundo, o Bank of the Manhattan Company Building na Wall Street – NY.  Em 1931, em primeiro de maio, foi inaugurado o Empire State Building com 381m.  O restante da história já é mais conhecida: em 4 de abril de 1973 foram inauguradas as marcantes torres gêmeas – do complexo do World Trade Center – e destruídas no ataque de 11 de setembro de 2001, com seus majestosos  526,3m e que por muito tempo levou o título de edifício mais alto do mundo. Atualmente está sendo reconstruído o complexo do WTC, a torre 1 já está pronta e desde 2012 retomou ao lugar de prédio mais alto de Nova York. As demais torres tem previsão pra serem concluídas até 2020.
O brilhante topo do Chrysler Building foi construído  com aço inoxidável e o interior do saguão é feito de mármore africano e aço. Não é bem um ponto turístico mas o arranha-céu que foi considerado marco da cidade em 1978 vale alguns olhares especiais, na minha opinião, em especial a noite quando fica com a torre iluminada. É possível observa-lo da Fifth Avenue principalmente nas proximidades da Grand Central Station mas sua localização exata é na 405 Lexington Avenue com 42nd Street.

Empire State Building

Conhecido pela visitação ao seu topo onde é possível ter uma vista de Nova York virou astro de cinema, pela primeira vez, em 1933 com o lançamento do filme “King Kong”. De lá pra cá é incontável as vezes que o queridinho dos turistas apareceu nas telas de cinema, até mesmo suas fictícias ruínas fazem história nas telinhas. Sua entrada fica na Fifth Avenue com a 34th Street, com filas extensas para compras de ingressos, que também podem ser adquiridos antecipadamente em diversos sites de passeios através da internet. Na entrada placas indicam o tempo de espera e a visibilidade, os elevadores param no 80º andar, mas por outros elevadores tem-se acesso ao 86º andar. Relatei no post “We love NYC” que acredito ser mais vantajoso subir no observatório do Rockfeller Center ao observatório do Empire porém independente de sua escolha, ambos os edifícios devem receber uma visita.

Foto tirada do “Top of the Rock” o observatório do Rockfeller Center com vista para o Empire e ao fundo da imagem é possível observar o “One World Trade Center ” o atual prédio mais alto de NY

 Rockefeller Center

Encontrei uma história interessante deste complexo de edifícios do Rockfeller no “keyguide” (o guia que usei pra fazer um dos meus roteiros de Nova York) e gostaria de resumi-la e compartilhar com vocês.

No início do século XX a área onde hoje é o Rockefeller Center pertencia à Columbia University. John D. Rockefeller tinha um projeto de construir uma ópera para o Metropolitan Opera e arrendou 50 mil m² da universidade em 1928, mas com a quebra da bolsa em 29 o projeto foi suspenso e de alguma forma o aluguel deveria ser pago. Foi então que Rockfeller decidiu construir um centro comercial, segundo ele, a “cidade dentro da cidade” foi erguida com 12 novos prédios entre 1932 a 1940.  Foi o maior empreendimento imobiliário com financiamento particular na história de Nova York. Ao longo dos anos seguintes outros prédios foram acrescentados. Apesar da grandiosidade deste complexo a parte mais conhecida por nós turistas é a torre central, G. E. Building, onde encontra-se o observatório “Top of the Rock“, o belo jardim ao redor da estátua de Prometeu, local onde em alguns meses do ano é montada a pista e patinação e o “Radio City Music Hall“.

Vista do Top of the Rock para o Central Park

No “Top of the Rock” é possível ter uma vista deslumbrante de 360 graus da cidade, com destaque para a incomparável vista para o Central Park. Há três níveis de observatório nos andares 67, 69 e 70, com terraços abertos e fechados.
Ah, e minha dica especial, no subsolo da torre central há uma praça de alimentação onde pude me deliciar com uma pasta muito boa no Coccina e CO; ainda encontra-se comida americana e barata na Trip Tip Grill entre outras opções de fast food.

Prometeu

One World Trade Center

Está imagem é da nova torre praticamente pronta do WTC. É possível vê-la de diversos pontos, se você visitar o Memorial do World Trade Center estará praticamente aos “pés” da nova torre e ainda verá as obras das demais torres do complexo que está sendo reconstruido. Está imagem eu fotografei do Battery Park, de onde saem os cruzeiros pra a Lady Liberty. Dicas pra visitar o Memorial do WTC no artigo “We love NYC

Quer descobrir mais coisas legais sobre NYC?
Visite o artigo sobre coisas pra fazer e ver no Central Park e arredores. (breve)

Mais viagens pelos Estados Unidos? Leia sobre Orlando, Disney e Las Vegas

Resumo de Viagem
Local: New York – NY – USA
Principais Visitações: Estátua da Liberdade, Central Parque, High Line Park, Rockfeller Center, One Trade Center, Governors Island, Ponte e park do Brooklyn.
Parceiro de Viagem: nenhum, viajando sozinha
Fotografia: Taciana P Rocha
Ponto alto: Passar a tarde no Governors Island
Ponto baixo: Alguns passeios sozinha que mereciam uma companhia, como por exemplo, o da visitação à ilha da Estátua da Liberdade.
Duração: 30 dias
Ano: 2013 (Setembro – Outubro)
Facebook Comments

Deixe uma resposta