Rio de Janeiro muito além das praias maravilhosas Parte 2

Tenho tanto pra falar do Rio que decidi dividir o artigo “Rio de Janeiro muito além das praias maravilhosas” em duas parte a primeira voltada para atrações geralmente em lugares fechado, ou como eu decidi chamar, para dias de chuva, e a segunda parte que contempla as atrações em espaços abertos, ideais para dias ensolarados . Comecei com dicas para quem chega ao Rio pela primeira vez e tem dicas maravilhosas de passeios na primeira parte, então se você ainda não lei recomendo que volte lá e desfrute das dicas e roteiros e depois de sequencia neste post.  

 

Mirante da Vista Chinesa

O que fazer na Cidade Maravilhosa em dias de sol 

Além das praias…

Que venha o sol  pois queremos conhecer muito mais do Rio de Janeiro, então passe seu protetor e vamos caminhar por parques e outros pontos turísticos! 

Cúpula dos canhões no Forte de Copacabana, ao fundo o Pão de Açúcar

Como fizemos várias referências ao Centro da cidade no primeiro post vamos partir o primeiro passeio daqui também, saindo da estação Cinelândia siga até a escadaria Seláron. A Escadaria do Convento de Santa Teresa que liga a Lapa com a ladeira de Santa Teresa com seus 215 degraus ganhou cor e destaque no turismo após o chileno Jorge Seláron afixar residência junto à escadaria. Contam que Seláron mudou se para lá em 1990 em seguida iniciou um trabalho de azulejar as calçadas, após ver o a vizinhança pintar as escadas de verde e amarelo no advento da Copa de 1994 passou a fazer este trabalho também nos degraus colocando mais alegria ao local. Terminou todo o trabalho em 2000 e a partir de então o turismo começou a crescer neste local. Seláron contou com a ajuda de fãs de seu trabalho no mundo inteiro, chegou a receber mais de 2000 azulejos diferentes vindo de mais de 60 países.

As escadarias hoje são conhecidas como escadaria de Seláron e já recebeu visita de celebridades internacionais como Snoop Dog e a banda U2. Agora está no roteiro turístico de brasileiros e estrangeiros que visitam o Rio e querem conhecer a escada – arte. É claro que os turistas não sobem toda a escadaria por diversão, até porque ainda é um local pouco seguro, mas é inusitado!

Dali siga para os famosos Arcos da Lapa, o aqueduto da Carioca que foi considerada a obra arquitetônica de maior porte no Brasil Colonial, tornou-se cartão postal da cidade e símbolo da Lapa. É bom ressaltar que apesar do policiamento ter sido reforçado nestas áreas agora citadas são locais que turistas devem estar sempre atentos com seus pertences. 

Saindo da estação Cinelândia (A) para a Escadaria Seláron (B) e depois os Arcos da Lapa (C)

 

 

 

Paineiras na entrada do Jardim Botânico

Uma maneira bem interessante de passear pela cidade é num passeio de jipe, como eu visitei a cidade sem carro achei interessante reservar um dia pra fazer alguns passeios de jipe (há várias empresas que prestam esse serviço – eu contratei com a Rio 40 graus) escolhi um passeio que fosse mais difícil eu fazer caminhando ou usando transporte público no caso a Parque Nacional da Tijuca. Com a empresa que eu contratei havia a opção deste passeio com o Jardim Botânico e sem, eu optei pelos dois mas a visita ao Jardim botânico foi muito superficial, acredito que se você tem disponibilidade pra passar mais tempo lá prefira ir por conta própria pois há muito o que explorar.

Jardim Botânico

O Jardim Botânico, como muitas coisas interessantes no Rio de Janeiro, foi criado no período colonial (1808) por D. João VI. As paineiras imperiais são da época da fundação, assim como o roseiral e o lago das vitórias-régias. Também há estufas no local – orquidário (que na ocasião estava em reforma e algumas espécies estavam junto às bromélias) e bromedário (estufa de bromélias). O Jardim botânico ainda abriga um jardim sensorial, especialmente desenvolvido para portadores de deficiência visual. A minha visitação foi feita com o guia da operadora do receptivo mas existem visitas guiadas próprias, mas devem ser agendadas (21) 3874-1808.
De lá seguimos para o Parque Nacional da Tijuca com algumas paradas previamente selecionadas. Esta é a maior reserva em região urbana do mundo, nunca se aventure a fazer trilhas sem um guia autorizado e com amplo conhecimento, por diversas vezes já vimos em noticiários grupos de turistas que se perdem em meio à Floresta da Tijuca. Este passeio não é apenas para ecoturistas, afinal, num passeio de jipe passamos por estradas lindamente emolduradas por espécies da Mata Atlântica e fazemos paradas em cachoeiras, como a cachoeira do macaco, construções históricas, como a mesa do Imperador e paineiras, e mirantes como a Vista Chinesa. Li em alguns sites que aos finais de semana há caminhadas com guias do parque gratuitas, é preciso buscar mais informações pelos telefones do parque(21) 2492-2252 / 2253.

Vista Chinesa

Mirante da Vista Chinesa

De todas as paradas a que mais me impressionou e que eu recomendo muito é a Vista Chinesa, é uma construção em estilo oriental a 380 metros de altura em meio à Floresta. Na minha opinião a vista mais bonita do Rio de Janeiro pois é o único local de onde se pode avistar ao mesmo tempo o Cristo, a Lagoa Rodrigo de Freitas, o Pão de açúcar e a pedra da gávea. Ou seja, um pano de fundo perfeito com as praias da Zona Sul.  (imagem do inicio deste artigo)

Foi possível no mesmo dia em que fiz este passeio incluir no meu roteiro a Morro da Urca e Pão de açúcar. O pessoal da empresa com a qual contratei o passeio de jipe pega e leva de volta no hotel em que estiver hospedado, então foi fácil continuar meu passeio indo até a Urca – Estação do teleférico. Os ingressos são comprados na hora e são válidos apenas para o dia.

Vista do Morro da Urca

Vista do Pão de Açúcar (com a chuva se aproximando)

Estação do Teleférico

A grande emoção do passeio começa no teleférico, também conhecido por bondinho, as janelas de vidro por todos os lados permite ver detalhes únicos da geografia carioca, ah, e claro que um lugarzinho próximo às janelas do teleférico é disputado pois eles comportam um número grande de passageiros. São duas paradas, a primeira a 220 metros de altitude no Morro da Urca e a segunda  a 400 metros acima do nível do mar no Pão de Açúcar, Ambas as paradas permitem vistas maravilhosas. Bom mas o meu tempo de vista maravilhosa durou pouco quando estávamos no Pão de açúcar pois a chuva chegou com a gente lá em cima e a neblina e nuvens não permitiu aproveitar mais tempo, mas de qualquer forma foi divertido e proveitoso. Para aqueles que visitam no verão há a oportunidade de ir também a noite e ver as luzes da cidade ou ainda ir ao finalzinho da tarde e ficar um pouco mais pegando os dois momentos, o dia claro com por do sol e o anoitecer com as luzes acesas (assim como eu fiz no Top of the Rock em Nova Iorque- risos).

Vista para a Praia Vermelha

Vista da Urca

Se você ainda tiver um tempinho aproveite para uma caminhada em parte do Morro da Urca, há uma trilha na lateral esquerda da praia vermelha que permite explorar parte do morro e ter uma visão privilegiada também da baía.  

Monumento do Cristo Redentor – Corcovado

Vamos ao tão esperado passeio no Rio – o Corcovado e Cristo Redentor. Sem dúvida o principal cartão postal da cidade, e porque não dizer do Brasil visto pelos turistas estrangeiros. O monumento do Cristo fica no alto do morro do Corcovado a 700 metros de altitude. A vista é exuberante! uma visão panorâmica que permite ver grande parte da Cidade Maravilhosa. Para chegar há três maneiras: carro, vans (legalizadas e muito cuidado com as ilegais) e o charmoso trem. 

Estação Cosme Velho – área de embarque do trem

Estação Cosme Velho

Não sei se sou a única mais meu grande desejo era chegar lé em cima no trem (que mais parece um bonde) mas é um clássico para a subida ao Corcovado, nos trilhos entre a mata e partes que avistam a praia lá em baixo… Agora vão as dicas pra que quer fazer esse mesmo passeio de trem: Primeiro, se for possível compre seu ingresso com antecedência pela internet (o ingresso é único com direito ao transporte de trem e o acesso ao monumento do Cristo), do contrário, dependendo do dia, você pode esperar até duas horas na estação do Cosme Velho esperando pelo seu horário de embarque. É isso, você compra o ingresso, tanto pela internet como no local, para horários pré estabelecidos de acordo com a disponibilidade. Segundo, caso você deixe para comprar o ingresso na estação, muito cuidado com as pessoas que ficam oferendo o passeio do lado de fora, vendendo “ingressos”, esses passeios são para ir de van e nem todas são legalizadas como disse anteriormente. Para comprar o ingresso na hora você entra na estação e há cabines de vendas indicando inclusive quais são os próximos horários disponíveis. Quer comprar seu ingresso com antecedência consulte o site: http://www.corcovado.com.br/portugues/index.html

Vista chegando ao alto do Corcovado

Optando por ir de trem a estação fica no Cosme Velho, é fácil chegar. Táxi, carro particular ou transporte público, que foi minha opção. Usei o metrô com destino a estação Largo do Machado (eu estava hospedada na Zona Sul – Copacabana, foi só pegar o metrô sentido Saens Pena e saltar na Largo do Machado). Esta estação tem integração com o ônibus então é possível até comprar um único bilhete para o metrô + ônibus. Saindo da estação já é possível ver a estação de ônibus (na mesma calçada), utilize a linha 580 – ônibus em direção a Cosme Velho, são mais ou menos uns 12 minutos até a parada em frente a Estação do Trem. Aí é só apreciar o passeio!

Vista de parte da Cidade Maravilhosa – ao fundo o Pão de Açúcar

O passeio mais concorrido entre os turistas, a visitação ao monumento do Cristo

Independente do dia tire um tempinho pra visitar o Parque Lage e se possível tomar um café da manhã por lá. O lugar é muito agradável e está ligado à nossa história, funcionava como um engenho de açúcar mas em 1840, um britânico comprou parte das terras e contratou o paisagista (John Tyndale) para projetar o jardim em estilo romântico. O parque abriga a Escola de Artes Visuais, lagos, um pequeno aquário dentro de uma caverna artificial e o charmoso café.  Esse cenário encantador fica ao pés do Corcovado em meio a Mata Atlântica.

Parque Lage

 

Aos domingos de manhã o café é bem concorrido, em alguns momentos com fila de espera. Mas também é possível reunir os amigos e família e fazer um piquenique na área aberta. Dali é possível ir caminhando até a Lagoa Rodrigo de Freitas e aproveitar pra caminhar ao seu redor. O parque fica localizado na Rua Jardim Botânico, 414. Para chegar utilizando transporte público pare na estação de metrô Botafogo e de lá utilize o Metrô de superfície linha Botafogo – Gávea (ônibus em direção à Gávea), são mais ou menos 18 minutos em transito normal, desça na Estação Jardim Botânico (uma referencia que anotei de um morador da cidade foi o Hospital da Lago, é o ponto mais próximo da entrada do parque). Como estava hospedada em Copacabana a opção de ir de táxi foi boa.

Parque com atrações culturais não faltam no Rio, é possível também fazer uma visita ao Parque das Ruínas, destacando se pela arquitetura, o espaço foi transformado em centro cultural há espaço para exposições e espetáculos, além de uma bela vista para a Baía de Guanabara. 
Seguindo dali é fácil fazer uma visita ao bairro Santa Teresa, cheio de ladeiras por onde passava o bondinho de trilhos.Na colina de Santa Teresa encontra se Largos e espaços culturais, atêlies e feiras de artesanato mas o turismo ficou escasso após a desativação do bondinho, o que tem projetos pra reativação neste ano de 2014.

Forte de Copacabana

Num belo dia de sol nada melhor do que aproveitar um passeio a beira mar pra conhecer e desfrutar uma pouco de algumas praias da Zona Sul. Eu como adoro um passeio de bike aproveitei o projeto da parceria da prefeitura com o banco Itaú que colocou várias estações em pontos diversos da cidade com bicicletas para uso compartilhado, estimulando assim o uso das ciclovias integrando ao uso do transporte público, como vemos em grandes cidades do mundo inteiro. (Fácil de usar, baixe o aplicativo Bike Rio no celular e siga as instruções)

 

Forte de Copacabana com vista para a Orla

Peguei a bike numa estação na Avenida Atlântica em Copacabana, próximo de onde eu estava hospedada. Num determinado dia fui pela beira mar até o Leme e dali até próximo a Botafogo para conhecer o shopping Rio Sul, todo o trajéto com ciclovias. Em outro momento fui para o outro lado de Copacabana chegando no extremo sul da praia onde encontra se o Forte de Copacabana e Museu Histórico do Exército. Inaugurado em 1914 o forte ainda conserva características originais como a muralha de 12 metros voltadas para o mar e a cúpula de canhões. O forte ainda ativo abriga o Museu histórico, com exposições temporárias e permanentes com armas e outros objetos do exército, além de poder ter a vista da orla de Copacabana. Dentro do forte tem lanchonetes e restaurantes, a Confeitaria Colombo possui uma filial ali, com mesas postas junto ao paredão ouvindo se o bater das ondas nas pedras lá em baixo. Porém para acesso aos restaurantes assim como ao museu é necessário pagar a entrada do Forte, o ingresso é de 6 reais (inteira).

Arpoador visto do Forte de Copacabana

Partindo do Forte de bicicleta ou a pé para aqueles que preferem uma caminhada pode se seguir para o Arpoador, não há acesso do Forte para lá a beira mar mas seguindo a Avenida/ciclovia a poucos metros já se tem acesso ao parque do Arpoador e a orla novamente. O Arpoador é muito frequentado por turistas. Conta com uma iluminação especial e por isso pode ser visitado até mesmo a noite, também dizem que é um ótimo local para ver o pôr do sol pois a pedra proporciona uma vista panorâmica das praias de Ipanema e Leblon com o morro Dois Irmãos ao fundo. 
Com disposição caminhe ou pedale por toda a orla passando por Ipanema e Leblon até chegar ao mirante do Leblon.  

Bike Rio – Ipanema/ Leblon com a Pedra Dois Irmãos ao fundo

Monumento de Carlos Drummond de Andrade – Orla de Copacabana

Visite também o Parque do Flamengo, mais conhecido como aterro do Flamengo o parque vai desde o Aeroporto Santos Dumont até a enseada de Botafogo compreendendo mais de 1 milhão de metros quadrados à beira-mar. No parque encontra-se ciclovias e pistas de caminhada e corrida, pista de skate, quadras e campos de futebol, playground e outros espaços para lazer, além de reunir quase 200 espécies de árvores nativas. É possível ter acesso ao parque pelo Centro e pelos bairros Glória, Flamengo e Botafogo.
Agora gostaria de indicar a vocês, caros leitores, dois passeios que eu considero ser interessantes mas que ainda não fiz por falta tempo, porém, pretendo fazê-los em breve. 
O primeiro é especialmente para aqueles que estão acompanhados de crianças ou que curtem ver os bichinhos, como eu que adoro visitar um zoológico. É o Jardim Zoológico do Rio de Janeiro onde o grande diferencial é uma passarela suspensa sobre um setor que abriga cervos, antas, capivaras, emas, animais aquáticos e aves marinhas. O Zoo fica instalado nos jardins da antiga fazenda onde viveu a família imperial – No Parque Quinta da Boa Vista. Telefone para maiores informações (21) 3878 4200
 
O outro é o Espaço Cultural da Marinha e Ilha Fiscal, o Espaço Cultura abriga equipamentos e antigas embarcações, peças recuperadas de naufrágios pela costa brasileira entre outros objetos ligados ao tema. No cais estão ancorados o Submarino Riachuelo que funciona como museu flutuante e também um helicóptero com mesma finalidade. Dali partem passeios para a ilha fiscal lugar onde até 1913 funcionava como posto alfandegário. A construção do palacete na ilha remete a um pequeno castelo em estilo neogótico e é aberta a visitação. O passeio dura 1hora e 40 minutos através de escunas . Os passeis para a ilha acontecem de quinta a domingo nos seguintes horários: 12h30, 14h e 15h30. Os ingressos são vendidos apenas nos dias de passeio das 11h as 16h. Mais informações no site http://www.mar.mil.br/dphdm/ilha/ilha.htm
Já a entrada do Espaço cultural da Marinha é gratuito e as visitações podem ser feitas de terça a domingo das 12h as 17h. Endereço: Avenida Alfred Agache s/n (próximo à Praça XV.
 
Não deixe de aproveitar as demais lindas praias do Rio de Janeiro de seu interesse… Tudo é maravilhoso! 
Indico também passeios noturnos pelos bares da Lapa, conheci e me apaixonei pela casa “Lapa 40 graus” (casa de eventos que leva o nome de Carlinhos de Jesus como proprietário – na ocasião da minha visita lá tive a oportunidade de vê-lo dar “um show”)
Para quem possa interessar fiz meu passeio de jipe no Jardim Botânico e floresta da Tijuca com a empresa ” Rio 40 graus Operadora” segue links e contato por telefone (21) 3208 2090/ (21) 8338 4991
Encontrei navegando pela internet um projeto de passeios guiados e gratuitos pelo Rio, este grupo tem programações diferentes para cada mês. Consulte antes de sua viagem e veja se é de seu interesse incluir estes passeios na sua programação, informe-se: Roteiro Geográficos do Rio

Roteiro Noturno no Rio
O Resumo de viagem você encontra na primeira parte deste artigo: Rio de Janeiro muito além das praias maravilhosas
Aproveitem a Cidade Maravilhosa, faça chuva ou faça sol… mas te desejo muito sol!
Facebook Comments

Deixe uma resposta