SeaWorld Parks & Entertainment

O SeaWorld Parks levou uma grande novidade para Orlando. Uniu atrações mega radicais com os encantos dos animais.

Ao falarmos em SeaWorld logo pensamos na famosa baleia Shamu e nos shows  de animais aquáticos e foi assim que os parques deste grupo conquistaram seu espaço em Orlando. 

Como comentei no post Orlando – Guia prático e dicas de sobrevivência” o complexo SeaWorld possui quatro parques na Flórida (ainda tem outros na Califórnia e no mundo), sendo 3 em Orlando, “SeaWorld” (parque que leva o nome do grupo), “Aquatica” e “Discovery Cove“; e  e um em Tampa, o “Busch Gardens” (que fica a um pouco mais de 1 hora de carro de Orlando).

Hora do banho na apresentação das baleias

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, o SeaWorld (o parque), apesar de envolver muita água nas suas atrações, não é um parque aquático, mas possui no seu complexo dois desse tipo, que é o “Aquatica” e o “Discovery Cove” (nestes sim você vai vestir sua roupa de banho e mergulhar em piscinas. Porém, no SeaWorld você somente irá se molhar se sentar muito próximo ao tanque da Shamu – a baleia, no Shamu Stadium, dai então, você tomará um “banho de baleia”!

Gostaria de fazer uma observação: como já devem ter percebido nos artigos sobre Disney e Universal, e também explanei no artigo de Orlando, apenas citei os parques aquáticos de cada grupo de parques, não dei ênfase ou os descrevi, e o mesmo acontecerá aqui. Não vou escrever sobre o “Aquatica” pois são todos parques muito parecidos com os que temos no Brasil, aliás, na minha opinião, os brasileiros são até melhores pois reúnem as principais atrações de cada um destes de Orlando num único parque como é o caso do Thermas dos Laranjais (veja meu artigo) ou do Beach Park. Mas irei fazer um breve relato sobre o Discovery Cove pois ele tem algumas peculiaridades.

Discovery Cove


Merece uma atenção porque é muito mais que um parque, parece mais um resort numa praia isolada… Tem muitos diferenciais dos demais parques. O sistema é all incluse (estacionamento, ingresso, comidas e bebidas), inclui até o snorkel que será usado e poderá ser levado pra casa como um souvenir. Também inclui as roupas de mergulho, toalha de banho e armários para guardar seus pertences.Você só precisa levar sua roupa de banho e roupas secas para a saída, óculos de sol e chapéu. Verifique a lista de vantagens no site do parque (em português)

Saguão de check in do Discovery Cove

Há limite de visitantes diários e você não encontrará filas ou toda aquela agitação dos demais parques. A recepção é diferenciada também, é realmente como em um hotel e você se apresenta e faz seu “check in” e claro que com tantas peculiaridades o valor do ingresso também é diferente dos demais parques, um pouco mais “salgado” porém não será tão absurdo se você optar pelo combo dos parques SeaWorld. O que justifica todas essas características do Discovery Cove? Aqui o contato é direto com os animais incluindo fazer carinho e nadar com os golfinhos . Agora nota-se a vantagem, não é?!

Se você tem interesse de visitar este parque fique atento ao calendário de funcionamento pois ele não abre em todos os meses do ano e, certamente compre seu ingresso e faça sua reserva com antecedência pois como disse, há limitações nas visitas diárias. 

SeaWorld 


O parque SeaWorld é um meio termo dos outros dois parques do complexo. Você verá muitos animais marinhos porém não tão de perto, serão shows lindíssimos, aquários e tanques e aliado a essa experiência, algumas das melhores montanhas russa de Orlando mas por outro lado, em número menor que o seu familiar Busch Gardens. 

Em se tratando de vida animal, as melhores experiências neste parque serão:
Assistir ao Show “One Ocean“, emocionante apresentação das baleias com saltos, atendendo a comandos sonoros e junto a uma trilha sonora e jatos de água sincronizados. O show acontece no Shamu Stadium (Shamu era o nome de uma das baleias que fez a fama do parque) e tem horários pré determinados assim como qualquer outro show ao vivo do parque então, mais uma vez vou relembra-lo: peque seu mapa do parque na entrada e consulte os horários… e muita atenção pra não ficar de fora de nenhum. Vá para o Stadium com uns 20 minutos de antecedência para garantir um bom lugar, seja nas cadeiras de baixo para sair encharcado mas feliz, ou mais pro alto mas garantindo uma boa vista.

Chamo a atenção para o fato de que o mesmo motivo o qual fez o parque SeaWorld se destacar também o causo uma pequena decadência. O show das baleias fez a fama do parque porém em 2013 foi lançando um documentário em que ex-treinadores do grupo revelam histórias de maus tratos as baleias. Tal documentário teve um grande impacto negativo para o parque e acabou afetando até sua receita anual no ano que se seguiu. O impacto foi tamanho que foi decidido fazer algumas mudanças, entre elas, no inicio de 2016 o parque anunciou que não mais irá procriar as baleias em cativeiro, ou seja esta será a última geração de baleias que apresentará os shows (que em breve não mais existirão). Por tudo isso, o parque vem investindo em outras atrações para não perder ainda mais seu público. Se tiver interesse em conhecer mais sobre o documentário acesse o site oficial .



O “Blue Horizonts” é outro espetáculo lindo que envolve golfinhos, nados sincronizados, danças e pássaros. Aqui os atores mergulham com os golfinhos e ambos dão show… é na verdade uma representação de um história mas se você estiver com o inglês “enferrujado” não se desanime pois, certamente se encantará e soltará alguns “oooohhhss” ! A mesma dica vale aqui, programe-se para estar por perto deste estádio com uns 20 minutos de antecedência, ele é menor que o das baleias e você vai querer garantir um bom lugar, certo?

 

Saindo do show aproveite para visitar o a piscina dos golfinhos, você poderá até alimentá-los com alimento apropriado, é claro, vendido no parque. Há também um tanque para os golfinhos bebês “Dolphin Nursey”.  Ainda pode-se ver show de pinguins, e leões marinhos. “Clyde & Seamore`s Sea Lion High“.

 

 

Aquário de corais  e pequenos peixes

Há diversos tipos de aquários espalhados pelo parque. “Jewel of the Sea Aquarium” com muitas espécies de peixes, criaturas marinhas exóticas e, “Shark Encouter” com tanques de pequenos tubarões e outras espécies destes num enorme túnel. Você verá tubarões por todos os lados e até sobre sua cabeça… No “Wild Artic” é possível encontrar urso polar, morsas e belugas entre outros.

 

Aquário Túnel

Um pouquinho do trajeto da Manta

Bom, pensando na parte mais radical do parque temos duas montanhas russa que na minha opinião, concorrem diretamente com Hulk e Dragon Challenge (a montanha russa do Harry Potter), na universal e a Rock’n Roller Coaster Starring Aerosmith, na Disney em termos de radicalidade. A “Manta” simula os voos, mergulhos e trajetos realizados por uma arraia. De peito para baixo (como se vc estivesse na barriga da arraia em posição para um voo) chegando a pontos de 43 metros de altura e 90 km/h… loopings, inversões e curvas de tirar o fôlego! E pra relaxar depois desse trajeto é só visitar o “Manta Aquarium“, aquário coladinho na montanha russa que conta com 3 mil espécies espalhadas pelos lados, teto e chão. Dá até pra brincar de fazer parte de um deles, como eu brinquei na foto a seguir. Ah, e a foto ao lado é um pedaço do trajeto da manta, mas não molha quem está na atração, é mais um efeito. E pra constar, estou ali bem onde está o jato d’água. Adorei!   

Em “Manta Aquarium”

Linda entrada para a montanha russa “Manta” (e o mapa nas mãos, olha a dica!)

Visão da montanha russa “Kraken” do alto do “Sky Tower”

A segunda maior diversão fica por conta da montanha russa “Kraken“, num total de 7 inversões (loopings) ela já te dá arrepios de fora do parque, pois de lá pode ser vista. O ponto auge são os 44 metros de altura da queda principal a nada menos que 104 Km/h e tudo isso numa armação que prende a parte superior do corpo deixando pernas e braços bem soltinhos…Realmente é pra imaginar a grandiosidade de criatura marinha – o Kraken. A atração é apontada como uma das melhores montanhas russa de Orlando pelos visitantes, são 3minutos e 39segundos de muita emoção que fazem valer a pena cada minutinho na fila de espera. A foto da montanha russa “Kraken” foi tirada do “Sky Tower“, uma outra atração do parque. Essa não é radical mais é incrível! Um elevador circular panorâmico que permite uma visão 360 graus do parque e de parte da cidade de Orlando.

Antartica: Empire of the Penguin

Faça um passeio pelo pólo-sul vendo um primeiro passeio de em família pelos olhos de um pinguin. Nesta atração “Antartica: Empire of the penguin” você pode escolher o passeio na versão leve ou selvagem, é um simulador com movimentos. Depois de sair do passeio você poderá explorar uma colônia de pinguins, com 5 espécies diferentes. Uma dica: não importa o calor que esteja fazendo no dia, leve um casado para esta atração, em especial para as crianças, é muito gelado lá dentro.  Por esse motivo, se você fizer um passeio no “Journey to Atlantis” espere sua roupa secar, ou leve uma troca ou ainda opte por apreciar esta atração após ir ao passeio com os pinguins pois com roupa molhada no frio não vai ser legal.
Um pouquinho mais do show “One ocean”:

Busch Gardens

Esse centro de lazer do grupo SeaWorld, como já citei, não fica em Orlando mas sim na cidade de Tampa. Mesmo com um pouco mais de uma hora de viagem vale muito a pena ser visitado. O parque tem dois grandes atrativos: de um lado animais selvagens em áreas que fazem referência às regiões africanas e por outro as montanhas russa mais incríveis do mundo! Se caso você não é do tipo que gosta de liberar a adrenalina e sempre que seu grupo quer ir numa atração radical é você quem fica guardando as bolsas não se entristeça, ainda há um ótimo passeio lhe aguardado – os safáris que possibilitam estar bem próximo dos animais e inclusive alimentar girafas e cangurus. Ah, e diga se de passagem que este contato com os animais é até mesmo, na minha opinião, mais interessante que o do parque “Animal kingdom” da Disney.

 

Passeio no trem com animais bem próximos

O Busch Gardens também é dividido por áreas temáticas, são elas: Morocco, Bird Gardens, Stanleyville, Congo, Jungala, Timbuktu, Nairobi e Egypty. Então não esqueça de pegar seu mapa para localizar onde estão as mais de 300 espécies de animais (sendo mais de 2 700 animais) e as demais atrações. Para se locomover pelo parque, caso queira atravessar de uma grande área para outra você pode usar o trenzinho e/ou o teleférico e com ambos ainda se aprecia os animais aos arredores. 

Travessia de parte do parque pelo teleférico cortando a “savana” cheia de animais

Adorei passar a mão num marsupial no “Walkabout – way” e poder dar ração a ele mas a minha parte favorita certamente foi andar nas montanhas russa… uma a uma… contando quantas das 8 (no total) faltava para eu “gabaritar” a parte radical do parque. Mas só para esclarecer, não consegui gabaritar as montanhas russa, fraquejei diante da “Gwazi“- a montanha russa assustadora de madeira que entrelaçam seus trilhos. São duas partes que se escolhe na fila em qual ir: leão ou tigre. Bom, em minha defesa não andei porque é fato que ela balança e treme muito e faz com que você de pancadas nas laterais internas dos trenzinhos, recentemente ganhou bancos acolchoados em substituição aos de madeira que chegavam a machucar. Enfim, como sou muito branca e já tive a experiência de sair com as pernas roxas da montanha russa de madeira do parque Hopi Hari aqui no Brasil, que é parecida com essa, não quis arriscar passar o resto da minha viagem (em Miami Beach) toda marcada. E também, foi o único dia que choveu durante a viagem e está atração passou boa parte do dia fechada. 

A primeira queda da Sheikra

Com exceção da “Gwazi” achei perfeitas as montanhas russa, vou contar um pouco de algumas que mais curti. Começando pela “Sheikra“, a maior da região. Após uma subida sem fim, com os pés soltos, ela faz uma curva lenta e para no topo de uma queda por alguns segundos. A descida é num ângulo de 90º e a sensação de que você está se desprendendo do carrinho naquela parada de segundos que parecem horas e, de repente, ela se solta na queda que atinge 112km/h… vem outra queda depois, a 42 metros de altura e ainda um giro 360º isso é só um pouquinho da emoção que se vive lá em cima, Ufa! Demais!  

Logo em seguida veio a “Kumba” com um trajeto mais longo do que a primeira e com tudo que um amante de montanha russa aprecia… quedas (uma de 42 metros de altura), looping, espirais de 360º e a completa ausência de gravidade por 3 emocionantes segundos. 

Posando em frente à “Kumba” logo após uma voltinha

Trecho emocionante da Cheetah Hunt

Na “Montu” não falta loopings (4 vezes), os quais você faz de pernas pro ar, literalmente. a 96km/h você ainda consegue apreciar o cenário, que remete ao Egito. A “Scorpion” é a mais simples e antiga, parece aquelas montanhas russa de parques itinerantes, mas também dá pra curtir um pouco. E por fim, não menos empolgante, a “Cheetah Hunt“, essa atração simula a caçada do guepardo, o animal mais rápido do mundo. Ela conta com três disparos de alta velocidade, há trechos de 50 a 100 km/h. são muitas manobras radicais que incluem giros de 360º no próprio eixo e trechos que dão a sensação de gravidade zero. É apenas 1minuto e 30segundos mas que vale muitas emoções!

Além das experiências radicais e as com os animais, ainda é possível neste parque assistir uma belíssima apresentação ao vivo com cantores e bailarinos no mesmo nível de uma apresentação do Cirque du Solei. O “Cirque Dreams Jungle Fantasy” é um musical que inclui contorcionistas, acrobatas e músicos em um belo cenário e figurinos. Mas são poucos horários no dia então informe-se da programação para não ficar de fora. Eu achei lindíssimo! 

Segue fotos de um pouco mais sobre a interação com os animais no parque!

“Jambo Junction” ambiente cheio dos charmosos flamingos

No “Garden Aviary” o contato com pássaros e de perto e no “Lory landing” a muitos papagaios

Algumas espécies vistas do passeio de trem que atravessa a réplica da Planície de Serengeti – “Serengeti Railway“, paradas nas áreas do Congo e Stanleyville:

 

Que tal conhecer outros parques de Orlando? Visite:

Disney World – Onde sonhos tornam-se realidade!

Universal Parks

Facebook Comments

Deixe uma resposta